next up previous contents
Próxima: Uma imagem como um sinal Volta: Equipamentos Anterior: Compressão de Imagens

Representação de um sinal contínuo

Por um sinal contínuo entendemos uma função contínua de uma ou mais dimensões. Por exemplo, os distintos tipos de eletrogramas são sinais uni-dimensionais, já que representam uma variação com o tempo. As radiografias são sinais bidimensionais, e a tomografia axial computadorizada e a ressonância magnética são sinais tridimensionais.

Matematicamente, todo sinal é uma função que toma um valor em cada ponto do espaço em que está definida. Qualquer função contínua definida sobre uma região do espaço pode ser aproximada por uma soma infinita de termos, onde cada termo tem uma contribuição à formação do sinal independente e ortogonal a qualquer outro termo da série.

Existem diversas bases para construir estas aproximações, mas a mais usada é aquela em que os termos são sinais ondulatórios puros. Isto é, cada termo é a contribuição de uma determinada frequência e comprimento de onda correspondente à formação do sinal. Assim, qualquer sinal pode ser analisado como uma função definida sobre um espaço de frequências.


next up previous contents
Próxima: Uma imagem como um sinal Volta: Equipamentos Anterior: Compressão de Imagens

Modificada em 21 set 1998